Crise no maior banco comercial do paíse BPC obriga encerramento de varias agências 

O Banco de Poupança e Crédito (BPC), o maior banco comercial do país, vai encerrar brevemente um conjunto de agências. Sendo que em Luanda vão fechar oito, um processo de emagrecimento imposto pelo plano de recuperação da instituição bancária pública.

O BPC está há cerca de dois anos envolvido num pesado esquema de revitalização imposto pela crise do crédito mal parado. Cobrança considerada inviável -, que. Segundo o banco ultrapassava os mil milhões de dólares.

Obrigando o Estado a criar outra empresa pública, a Recredit, onde injectou mais de 2 mil milhões USD. Para adquirir estas dívidas por forma a permitir relançar o negócio dos bancos comerciais atolados em problemas gerados pela concessão de empréstimos sem salvaguardas.

Das mais de 460 agências que tem espalhadas pelas 18 províncias, o BPC vai iniciar o fecho de um conjunto delas, embora ainda por definir. Sendo que em Luanda oito vão fechar, tendo a instituição prevista a transferência das contas dos clientes para outras agências.

A encerrar estão, segundo comunicou o banco estatal, as dependências da Chicala (Poupa Lá) – passando as contas dos clientes ali domiciliados para a agência Ilha (0019). Belas (63) – com os seus clientes a serem transferidos para a agência Orquídea (0901). Camama (Poupa Lá) – cujos clientes vão para as agências Angochin (0150) e Golfe (0031), na avenida Pedro de Castro Van-Dúnem Loy.

11 de Novembro (111) – cujas contas dos respectivos clientes passam a estar domiciliadas nas agências Angochin (0150) e do Cabolombo (0191. Zango 1 (047), Zango 2 (Poupa Lá) – que passam para a agência Zango (0057). Filda – vão para a agência Vila Luanda (0137) e SME Viana, de onde os clientes transitam para agência do BPC Viana 2 (071).

 

Novo Jornal
PARTILHE ESTE ARTIGO EM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *