Isidro Fortunato: Impacto das letras musicais na nossa sociedade

As letras são mais importantes que a instrumentalização em si, uma vez que a voz se converte em um instrumento dentro da musica. Porém o que torna a voz um instrumento afinado por vezes é o conteúdo, a poesia, o calor que é transmitido pelo artista, o ritmo. Esta poesia ganha capacidade de produzir imagens positivas quando auscultada. Pois ela interioriza e exterioriza a sociedade, quando traduz determinadas realidades.

A musica é cultura, musica é identidade de um povo quando obedece a sua matriz cultural. Mas ela não é somente cultura pela representação dos seus instrumentos originais que transparecem a sua identidade.

Ela tem o poder também de conservar outras nuances da nossa cultura, baseados em componentes culturais imateriais, folclóricos, mitológicos. E reproduzir vivências do dia-dia, que ajudam a conservar a consciência histórica do nosso povo, tudo feito com registos orais.

Porém aqui em Angola e em muitos Países onde existe uma agenda de alienação e emburrecimento das pessoas. Não existe um critério de convergência entre a musica, cultura e a sociedade, e é muito diferente. Vamos encontrar a cantora como a conhecida kudurista Noite e Dia, a cantar “Abre o livro”. Revestindo suas palavras com uma coreografia hipersexualizada, desenhando sexualmente e metaforicamente o significado de “Abrir o livro” com gestos sexuais explícitos.

Que traduzindo é apenas um convite de incentivo a promiscuidade social, as pessoas conseguem captar isso. No entanto estes músicos em angola são suportados por uma máquina mediática cor de rosa, que concede espaços a estas pessoas. E elas aparecem em programas cor de rosa como (ZAP news) para justificar seus conteúdos abusivos a realidade social.

No caso da cantora Noite e Dia que afirmou em programa televisivo que “Abrir o livro” é um incentivo a leitura, vergonhosamente ludibriando e emburrecendo a sociedade com explanações de conveniência.

Vergonhosa é a promoção e a mediatização, que a comunicação social Angolana faz destes artistas, sem consciência social e cívica. Sem uma ideia do impacto das suas musicas nas camadas mais vulneráveis da sociedade, e na sociedade Angolana no geral. No entanto estas pessoas, ainda ganham prémios em Galas organizadas que gozam de algum prestigio na sociedade Angolana.

Que foi o caso da Kudurista Noite e Dia que amealhou o prémio de Kuduro do Ano no Top Radio Luanda 2018 com a música “Abre o Livro”. Sendo que estas premiações incentivam cada vez mais o surgimento de músicas cuja temática fica pela promiscuidade. Pela hipersexualização e pela destruição da consciência social.

 

Por: Isidro Fortunato

PARTILHE ESTE ARTIGO EM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *