PGR – José Filomeno dos Santos Zénu constituído arguido e impedido de sair do país

José Filomeno dos Santos, “Zénu”, antigo presidente do Conselho de Administração do Fundo Soberano. Foi constituído arguido pela Procuradoria-Geral da República e está impedido de sair do país.

A informação foi avançada pelo sub-procurador-geral da República de Angola, Luís Benza Zanga.

Segundo o responsável, em causa está a investigação sobre a transferência de 500 milhões de dólares. Realizada em Setembro do ano passado do Banco Nacional de Angola para o banco Credit Suisse, de Londres.
A operação levantou suspeitas das autoridades bancárias, que desconfiaram de uma fraude contra o Estado angolano. Procedimento que desencandeou as diligências investigativas em curso.

No âmbito deste processo, o ex-governador do BNA, Valter Filipe, também foi constituído arguido. Segundo adiantou, na semana passada, o procurador-geral adjunto e coordenador do Departamento Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), João Luís de Freitas Coelho.

Valter Filipe está indiciado pelo crime de peculato e branqueamento de capitais, e. Após ter sido interrogado “demoradamente”, viu serem-lhe aplicadas algumas medidas de coacção. Nomeadamente de não abandonar o país e de apresentação periódica junto DNIAP, onde está o magistrado instrutor dos autos.

“Vamos aguardar que a investigação continue, para que se possa, mais lá para frente. Aferir outros nomes”, disse João Luís de Freitas Coelho. A declaração deixa em aberto a revelação, nas próximas horas ou dias, de novos arguidos.

Entretanto, também na semana passada, as autoridades britânicas. Adiantaram que já deram luz verde para que os 500 milhões de dólares regressem a Angola.

Novojornal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *