Polícia reforça com 500 efectivos patrulhamentos nas ruas de Luanda 

Os patrulhamentos nocturno em todos os municípios e distritos da cidade de Luanda. Será reforçado com 500 efectivos da Polícia de Intervenção Rápida (PIR), Serviço de Investigação Criminal (SIC), Ordem Pública, e Serviços de Informações do Comando Geral.

O destaque recai para Cazenga, Cacuaco e Viana, depois de, na madrugada de Domingo, 13. Ter havido um duplo homicídio no bairro Malueca, no Cazenga, que vitimou os jovens Isaquiel Lupassa, 28 anos, e Luís Evaristo, 18 anos.

O director provincial de operações do Comando Provincial de Luanda da PN, inspector chefe Lázaro Conceição. Sublinhou a importância dos efectivos dos distintos ramos do Ministério do Interior que estarão destacados em toda extensão de Luanda. Para prevenção e combate à criminalidade.

O apoio de patrulhamento em Luanda vai ser reforçado não só em Viana, Cacuaco e Cazenga. Mais em toda a cidade de Luanda, em função do aumento dos crimes”, referiu.

Os efectivos vão reforçar com patrulhamento de acordo com analises criminal e pontual. Para pôr fim ao sentimento de insegurança da população”.

A nossa intenção é fazermos uma análise realística da criminalidade destes bairros. E pontualmente reforçarmos o policiamento apeado, motorizado e com veículo automóvel nos locais mais críticos…”, acrescentou.
Também temos o conhecimento de que existem bairros que não são críticos durante 24 horas. Há períodos onde a criminalidade atinge picos, e nesses “times” em que há picos criminais, nós vamos colocar as forças para prevenir e reprimir a criminalidade. No sentido de garantir segurança às populações”, explicou.

Lázaro Conceição informou ainda que os efectivos da PIR terminaram já uma formação na especialidade de violência urbana e crime organizado. Explicando que “os efectivos distribuídos em várias esquadras e postos policiais da capital, no sentido de manter a ordem e a tranquilidade junto das comunidades. Não vão ficar permanentes nos respectivos comandos Municipais e Distritais.

De acordo com o director provincial de operações, os órgãos do Comando Geral têm excesso de pessoal, que apenas efectua trabalho administrativo. E as unidades com mais de 500 efectivos vão dispensar cerca de 40 por cento do seu pessoal para trabalhar nas esquadras e postos policiais a fim de dar suporte nas operações que a Policia Nacional irá desencadear a nível de Luanda.

Vão ser retirados muitos efectivos dos gabinetes para reforçar as unidades municipais e distritais para. Em curto prazo, reduzirmos os crimes nas ruas de Luanda”, disse.

 

Novojornal

PARTILHE ESTE ARTIGO EM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *